Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Um dia a casa vem abaixo

Só 255 caracteres?! Isso não dá para nada!! Bem, o melhor será ir passando por aqui. Assim ficará a entender melhor o que é. Obrigada pela visita. Tenha um dia feliz!

Um dia a casa vem abaixo

Só 255 caracteres?! Isso não dá para nada!! Bem, o melhor será ir passando por aqui. Assim ficará a entender melhor o que é. Obrigada pela visita. Tenha um dia feliz!

Férias da criançada: Sim ou Não às Fichas?!

hp_10092015_OsLivrosEscolaresSaoUmImposto.jpg

(imagem retirada da internet) 

 

 

Este é um assunto em que todas, mas mesmo todas as pessoas opinam. Quer tenham filhos quer não! Uns são a favor, outros rogam pragas a quem profere as palavras: escola, estudo, fichas de trabalho!!! UUUU!!! Bem cá em casa fazemos fichas de trabalho, falamos na escola e recordamos o que se aprendeu. Há pois é! Podem levantar-se e começar a “excomungar-me”. Desde sempre que o garoto pratica, quer seja de forma direta ou indireta. Quando era mais pequeno fazíamos muitas atividades em conjunto. Como ainda não estava na pré nem no ciclo, fazíamos alguns trabalhos manuais. Recortes com tesoura, enfiar o atacador em buraquinhos, desenhos a aguarela, etc. Quando ele acabou a pré, alterei um pouco as coisas, comprei um livro de atividades (Depois de das férias vou para o 1º ano). Um dos objetivos do primeiro ano é permanecer mais tempo sentado (isto é uma maneira simpática de dizer as coisas, pois os garotos ficam sentados o tempo todo!). Por isso, socorri-me deste livro para, além do obvio, treinar isso mesmo. Não fazíamos exercícios todos os dias, mas umas 2 ou 3 vezes (no máximo) por semana lá estávamos nós a praticar um bocadinho. Este ano não foi exceção, e depois de umas semanas de descanso, voltamos a relembrar o que se aprendeu. Os livros têm mais utilidade quando o garoto vai para casa dos avós, ele e a prima sentam-se, depois do almoço, a fazer umas fichas, ora matemática ora português. A coisa, pelo que sei, nem sempre corre bem pois um que ver o que o outro está a fazer. Mas até isso tem as suas vantagens! Há que treinar a concentração e o foco no seu trabalho. E os avós aprendem a gerir a atenção de cada um, com tranquilidade. A avó, normalmente, é que fica a dar apoio à garotada. Quando vamos em família para qualquer lado, não há nada disto. Ficamos todos de férias. Tiramos tempo para nós: para nos divertirmos, relaxar, dormir (se for caso disso), passear, mimarmo-nos o mais possível, comer tudo o que se tem direito… um sem fim de coisas boas!!! Se por acaso vamos a um museu, aí aproveitamos para ensinar e dar a conhecer o mais possível. Se vamos passear a uma cidade aproveitamos o que nos rodeia para introduzir um novo conceito. Se vamos dar uma volta ao ar livre aproveitamos para olhar e observar mais e melhor o que nos rodeia. Basicamente nunca nada disto é necessário porque basta por o pé fora de casa e começar a responder às mil e uma perguntas de sua excelência! À!! E não se pense que sim e não são resposta, nada disso!! Temos de nos informar, quando não sabemos, e mais tarde ele cobra a informação. Mais ainda bem que assim é. Não creio que fazer algumas fichas durante as férias seja antipedagógico, e que não permita que as crianças se desliguem da escola, ou os venha a traumatizar para o resto da vida. As férias deles são de 2 meses e meio a 3 meses, têm tempo para muita coisa. Para brincar, dormir, jogar, passear e praticar o que foi aprendido. Tudo pode, e deve ser feito, com peso conta e medida.