Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Um dia a casa vem abaixo

Só 255 caracteres?! Isso não dá para nada!! Bem, o melhor será ir passando por aqui. Assim ficará a entender melhor o que é. Obrigada pela visita. Tenha um dia feliz!

Um dia a casa vem abaixo

Só 255 caracteres?! Isso não dá para nada!! Bem, o melhor será ir passando por aqui. Assim ficará a entender melhor o que é. Obrigada pela visita. Tenha um dia feliz!

Voluntariado

IMG_20171111_094134.jpg

 

IMG_20171111_093510.jpg

IMG_20171111_093457.jpg

 

 

No passado sábado, como alguns de vós tiveram oportunidade de seguir pelo Instagram, o D. e eu fizemos voluntariado pela primeira vez. E foi maravilhoso! Muito, muito enriquecedor, valeu a pena cada minuto!
No meu entender, é essencial que o façam, que tenham a necessidade de ajudar, sentirem-se úteis e ativos numa vertente social.
O contacto com uma realidade que não é a deles pode ajuda-los a olhar o mundo de outra forma. Gratidão. Partilha. Comoção. Ajuda. Disponibilidade. O próximo e não eu.
Tudo sentimentos que devem acompanhar e talha-los desde pequenos para que tenham um futuro mais humano. E para que o voluntariado seja um prazer e tão natural como qualquer outra atividade que possam desenvolver.
A experiência por si só é magnifica. E a cada pessoa que passa aprendemos mais um bocadinho, sobre nós e sobre os outros. Todos aqueles a quem nos dirigimos com o pedido deixaram em nós uma marca. Mesmo aqueles que nos disseram não. Ou porque não podiam ou porque não queriam. Existiram dois momentos que nos marcaram.
Uma das pessoas a quem nos dirigimos pediu-nos desculpa mas não podia dar porque tinha pouco dinheiro. No fim das suas compras olhou para nós e deu-nos uma lata do que levava para a sua família. Voltou a pedir desculpa por ser pouco mas não podia dar mais. Foi um gesto muito bonito. Que fez ver ao pequeno que, mesmo sendo só uma lata de comida, foi dada de coração. E ele sentiu isso.
A outra situação:
Quando nos dirigimos a uma senhora de alguma idade, não contávamos ouvir aquela resposta.
“Já me pediu à bocado! E já lhe tinha dito que não!
- Peço desculpa. - disse eu - Não tinha reparado já tinha passado. Como deve calcular passam por aqui muitas pessoas.
- Mas vá lá agora digo-lhe que sim. Mas sabe eu ajudo muito a igreja!
- Pois.
- Sabe que a santinha que está naquela igreja fui eu que a dei! Custou-me 2.500€!
- À! Pois.”
A senhora segui o seu caminho. O pequeno vira-se e diz: "A senhora deve ser muito rica. Se calhar vai dar o saco cheio mãe!”
À saída entrega ao garoto um pacote de arroz. O meu pequeno fica de queixo caído quando recebe o pacote.
Agradecemos o contributo mas com muitos pensamentos a fervilhar!
Fico eu meio atrapalhada com a situação e a pensar como vou explicar isto ao garoto.
Resumo dizendo: “Filho cada um ajuda como acha melhor.” E mais não disse. Não sei até hoje o que ficou ele a pensar. Mas até ao momento não houve qualquer tipo de manifestações.
O que importa é que ele gostou e quer voltar por mais tempo e para fazer outro tipo de voluntariado.
Eu fico muito feliz! Porque no voluntariado é que está o ganho!

Tenham uma semana feliz!

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.